Como preservar sua frota de veículos na quarentena?

Como preservar sua frota de veículos na quarentena?

29/05/2020

Diante da recomendação mundial de nos mantermos em casa por conta da pandemia do Covid-19, muitos negócios precisaram se adequar ao novo cenário. No caso de empresas com frotas, muitos veículos ficarão em desuso durante o período, o que pode acarretar danos e, consequentemente, prejuízos às corporações.

A questão é: quais as recomendações para preservar os veículos durante o período em que os veículos estão parados? A resposta está nas manutenções preventivas e preditivas, que tornam-se fundamentais. Enquanto a primeira baseia-se na troca periódica dos componentes do carro, a segunda antecipa problemas e acompanha parâmetros de eficiência dos componentes.

No fim, o objetivo é o mesmo: economia no custo total de propriedade e diminuição dos riscos de acidentes e quebras.

 

Manutenção preventiva: siga as recomendações dos fabricantes

A recomendação é fazer uma análise e substituição das peças do carro, de acordo com as orientações do manual do automóvel, para evitar que componentes desgastados provoquem falhas no motor futuramente. Geralmente, o fabricante indica os intervalos de tempo e a quantidade de quilômetros percorridos que exigem a revisão. No caso de veículos parados por muito tempo, importante dobrar a atenção nestes prazos de manutenção, pois eles podem expirar antes que o veículo alcance a quilometragem limite.

Um dos exemplos é a troca de óleo lubrificante do motor – que deve ser feita de acordo com a quilometragem informada pelo fabricante ou pelo tempo de uso do produto. Mas isto vale para todas as peças e lubrificantes do veículo, desde fluídos de freio e vela de ignição até as palhetas dos limpadores de pára-brisa.

Portanto, a implementação de manutenção preventiva exige um controle rígido do tempo de uso e da rodagem de cada veículo, cruzando tais informações com os ciclos de trocas de cada componente.

Por ser um trabalho que demanda tempo – mas que evitará maiores gastos futuramente – aproveite o período de isolamento social para verificar se o funcionamento dos veículos da sua frota está o mais próximo possível das condições de fábrica, prevenindo problemas com componentes desgastados ou que estão no final da vida útil.

Enquanto a manutenção preventiva ocorre em intervalos indicados pelo fabricante, a preditiva deve ser feita em intervalos sistemáticos.

 

Manutenção preditiva: o diagnóstico é a peça-chave

A manutenção preventiva exige equipamentos para fazer diagnósticos e revisões constantes, que conferem o funcionamento e a eficiência de cada peça. Isso porque a manutenção preditiva consiste na análise sistemática dos componentes do carro, com a intenção de detectar anomalias no comportamento de peças e prevenir falhas. Com uma avaliação detalhada, a empresa poderá prever problemas que aconteceriam futuramente e terá a oportunidade de corrigi-los antes que se manifestem.

Uma vez que os componentes se desgastam de maneiras diferentes, devido às condições de uso e às questões ambientais, a manutenção preditiva atua para que as peças sejam trocadas somente quando apresentarem perda de eficiência. Entre as técnicas de diagnóstico utilizadas na manutenção preditiva estão a termografia, o ultrassom do sistema, os testes de bateria, o estudo das vibrações e as análises estruturais.

A manutenção preditiva é a mais indicada para a análise de pneus, pastilhas de freio e jogos de suspensão – por serem peças de validade indeterminada, uma vez que o tempo de vida delas está diretamente relacionado às condições de uso do veículo.

Com a frota parada por tempo indeterminado, colocar em prática este tipo de manutenção fará com que os custos futuros sejam menores e vai minimizar trocas desnecessárias quando os veículos voltarem a circular.

Fleet News