AS MUDANÇAS SIGNIFICATIVAS DOS CARROS AUTÔNOMOS PARA O TRÁFEGO GLOBAL

AS MUDANÇAS SIGNIFICATIVAS DOS CARROS AUTÔNOMOS PARA O TRÁFEGO GLOBAL

05/12/2018

Projetados para entrar em larga escala no mercado em um futuro não muito distante, os automóveis autônomos possuem tecnologias extremamente complexas – como visão 360º e inteligência artificial que interpreta relevo, placas, calçadas, semáforos e a rota a ser realizada. Estas funcionalidades prometem modificar consideravelmente o tráfego global de veículos, oferecendo mais segurança e benefícios aos usuários.

De acordo com nota emitida pela Volkswagen, até 2025 a companhia pretende investir US$4 bilhões em ecossistemas de direção autônoma para carros. Outras montadoras globais também já divulgaram seus planos de investimento nesta tecnologia que, ao todo, pode chegar a US$80 bilhões conforme levantamento do Brookings Institute. 

 

O que é um carro autônomo e quais seus benefícios?

Trata-se de um veículo autodirigível, ou seja, capaz de se locomover sozinho sem qualquer intervenção humana.  Na prática, o carro autônomo consegue realizar tudo o que o nosso cérebro faz, percebendo e analisando situações de trânsito por meio de sensores e softwares. Estas tecnologias detectam informações e fazem cálculos preditivos, de modo a decidir o momento certo de acelerar, frear ou mudar a direção.

Estatísticas de acidentes de trânsito confirmam que 90% das colisões ocorrem devido a falhas humanas. Considerando que o processamento de informações do carro autônomo é muito superior à capacidade do homem, os riscos de falhas e acidentes diminuem significativamente. Um estudo encomendado pela Intel constatou que 585 mil vidas poderão ser salvas entre 2035 e 2045 graças aos veículos autodirigidos.

 

Entendendo o funcionamento do carro autônomo

Os projetos de carros autônomos têm engenharias variáveis, mas a maioria dos sistemas de autocondução se embasa em mapas internos criados com a coleta de imagens e sinais do entorno. Os dados são obtidos por meio de radares, câmeras e sonares que fazem o acompanhamento panorâmico e em tempo real de toda a movimentação da via ou estrada.

Softwares especiais processam e interpretam as informações coletadas, emitindo comandos aos atuadores do veículo. Algoritmos específicos e tecnologias de discriminação de objetos ajudam o software a reconhecer pedestres, ciclistas e outros obstáculos, além de detectar semáforos e condições adversas que influenciam na direção.

 

Os desafios para colocar o carro autônomo no mercado

Atualmente é impossível prever quando os veículos autônomos estarão disponíveis para o consumidor comum.  Conforme indicam os principais investidores desta tecnologia, a adesão em massa dos carros autodirigidos dependerá da criação de “cidades inteligentes” e da implantação de novas infraestruturas em vias urbanas e estradas. Uma pesquisa da consultoria KPMG apontou que apenas países mais avançados como Holanda, Cingapura e Estados Unidos possuem cidades com aptidão para receber veículos autônomos de forma mais imediata.

Além destes desafios, também será necessário vencer os desafios legislativos, éticos e morais no que se refere à inteligência artificial que controla esses veículos. Dilemas sobre acidentes e vulnerabilidade de redes ainda estão sendo discutidos pelas montadoras, de modo a encontrar as soluções mais seguras para o futuro.

Aos entusiastas, cabe aguardar os avanços e aprimoramentos que deverão ocorrer na próxima década.

Fleet News